Sociedade

Por causa das dívidas, DNPM aciona VALE, a mineradora pode ter a suspensão das suas atividades no Pará

Dívidas acumuladas da mineradora VALE, de janeiro de 2016 a junho de 2017, somam mais de R$ 559 MILHÕES, apenas em Parauapebas/PA. Sem pagar as dívidas, a mineradora quer distribuir R$ 2 BILHÕES de lucros para os acionistas.
Dívidas se acumulam
O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) enviou duas cobranças a mineradora VALE, uma no valor de R$ 436.653.533,49 (Quatrocentos e trinta e seis milhões e seiscentos e cinquenta e três mil e quinhentos e trinta e três reais e quarenta e nove centavo), com data de 27/11/2017, referente ao período de mar/2016 a jun/2017, quanto ao não pagamento ou pagamento a menor da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM. A outra é no valor de R$ 122.364.899,71 (Cento e vinte e dois milhões e trezentos e sessenta e quatro mil e oitocentos e noventa e nove reais e setenta centavos), referente ao período de jan/2016 a jun/2017, foi enviada em 14/12/2017.
Lucros
O que impressiona é que a empresa, ou seja, a VALE, deva R$ 559 MILHÕES, mas anuncie a distribuição de mais de R$ 2 BILHÕES de lucros para o “rentismo”, enquanto isso, recorre a manobras e firulas jurídicas para postergar o pagamento de dívidas consolidadas, decorrentes das suas obrigações legais que a mineradora parece fazer questão de não cumprir.

 

Quem sofre é a população de Parauapebas
Enquanto seus “acionistas” se deleitam em lucros absurdos e ilegítimos, nas barbas do inerte Ministério Público, os governos e as populações das cidades atingidas pela exploração mineral da Vale padecem com os impactos ambientais e sociais causados pela companhia.
Judiciário de compadrio
Não tivéssemos um poder judiciário de compadrio, que movimenta o direito de acordo com seus interesses corporativistas e por holofotes, a VALE jamais poderia ser autorizada a distribuir LUCROS sem que antes cumprisse com suas obrigações legais e morais com as populações atingidas pelas suas atividades.
Uma luta inglória
O município de Parauapebas tem se empenhado para receber o que é de direito da sua população, mas falta sensibilidade ao poder judiciário, sempre e quase invariavelmente tem protegido de forma escandalosa a mineradora VALE, lembrando que essa empresa até prédio já deu de presente à “justiça” paraense.
Veja os PROCESSOS de cobranças das dívidas da VALE pelo DNPM

Comentário

Faça seu comentário