Sociedade

Hipótese mais forte para morte de casal na Barra é homicídio seguido de suicídio, diz promotor

Promotor do MP e mulher foram achados mortos. Segundo Homero Freitas, também promotor do MP junto a Divisão de Homicídios, não há indícios de que crime foi relacionado a função de Marcos Vinícius Costa Leite.

Promotor e mulher foram encontrados mortos em prédio na Barra (Foto: Henrique Coelho/G1)
Promotor e mulher foram encontrados mortos em prédio na Barra (Foto: Henrique Coelho/G1)

A hipótese mais forte para a morte de um promotor de justiça junto com sua esposa é de homicídio seguido de suicídio. A análise de Homero Freitas, promotor do Ministerio Público junto a Divisão de Homicídios.

“Temos que esperar a perícia. Os dois corpos estavam no chão da sala. Tudo indica que foi um crime passional seguido de suicidio. Não tem nada ligado à função dele no Ministério Público”, disse o promotor Homero Neves Freitas, que atua junto à delegacia de Homicídio.

Segundo o promotor, a empregada chegou à residência e encontrou os dois corpos. A arma encontrada junto ao corpo era de Marcus Vinicius da Costa Leite. O corpo dele e da esposa foram levados para o IML.

Marcos Vinícius foi encontrado morto junto à mulher, também servidora do Ministério Público do Rio de Janeiro, dentro de um apartamento na Rua Coronel Paulo Malta Resende, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta terça-feira (16).

De acordo com as primeiras informações da polícia, havia marcas de tiros no corpo de Marcus Vinicius da Costa Leite e da mulher dele, Luciana Alves. Uma arma de fogo foi encontrada ao lado dos corpos.

O promotor trabalhava no Grupo de Atuação Especializada e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio, há pouco mais de quatro meses. Anteriormente, ele atuava na promotoria de Campo Grande, na Zona Oeste da cidade.

Fonte: https://g1.globo.com/rj

Comentário

Faça seu comentário